Dica: Código Hexadecimal das Cores

1 Comentário

Encontrei um site que mostra uma relação de códigos hexadecimal das cores que podem ser usadas em páginas HTML.

Códigos Hexadecimal da Cor 

Esta página demonstra a representação de seis dígitos hexadecimais da cor na forma # RRGGBB, onde RR, GG e BB são os valores hexadecimais para o vermelho, verde, azul. Usar um código hexadecimal é a mais confiável maneira de definir cores em páginas HTML ou arquivos de estilo (CSS).

Fonte: December.com

Para facilitar um pouco, extraí tudo para uma planilha Excel que pode ser baixada aqui.

Microsoft apresenta versão 11 do Visual Studio

Deixe um comentário

A cada lançamento do Visual Studio, normalmente são apresentadas novas características tanto no seu IDE, quanto no suporte de linguagens de programação. O vice-presidente da divisão de desenvolvimento da Microsoft apresentou recentemente quais as mudanças que vão entrar no Visual Studio 11.

A nova versão dará pleno reconhecimento à linguagem JavaScript, assim como faz com as linguagens C#, Visual Basic e C++. As melhorias para JavaScript também incluem suporte para a linguagem ECMAScript 5 como padrão, e o suporte para remover bugs para JavaScript agora coincide com o que está previsto outras linguagens do Visual Studio, incluindo janelas de remover bugs que suportam interagir com o aplicativo que está sendo debugado. Talvez, a novidade mais interessante seja a adição de um REPL (Read-Evaluate-Print Loop) para o desenvolvimento JavaScript.

O suporte de programação assíncrona serão integrados ao C # 5 e ao Visual Basic 11. O uso de código assíncrono em versões anteriores do Visual Studio foi difícil de se implementar e debugar. No Visual Studio 11, ambas as áreas serão melhoradas, fornecendo novos recursos de linguagem que permitem o uso de fluxos de controle tradicionais (loops, condicionais etc) com código assíncrono e inclui a capacidade de debugar essas declarações com o removedor de bugs integrado.

O desenvolvimento com C++ deve receber diversas melhorias notáveis na nova versão, como, por exemplo, melhor suporte IDE e a capacidade de construir aplicativos nativos do Windows Metro. Há uma maior ênfase no suporte para escrever o código paralelo utilizando o C++ e a tecnologia AMP (Accelerated Massive Parallelism). O Visual Studio 11 permite debugar diretamente os aplicativos usando o C++ e a AMP.

A nova versão do Visual Studio vai introduzir o F# 3.0 e a funcionalidade Type Provider. Esse mecanismo tem evoluído em resposta à necessidade de ligar linguagens estaticamente tipadas (F #) para os dados cada vez mais dinâmicos encontrados na web. O F# 3.0 terá suporte para Odata, WSDL e SQL, mas provedores customizados podem ser escritos.

Fonte: iMasters

Links relacionados: